VACINAS que o bebê deve tomar até os 5 anos

 

A partir do nascimento, a criança fica muito susceptível a doenças infecciosas, aquelas provocadas por micro-organismos diversos. Por isso, é importante que as vacinas que o bebê deve tomar até os 5 anos sejam realizadas em tempo hábil.

Dessa forma, cuidando para que as vacinas sejam administradas corretamente, a criança ficará mais protegida e poderá crescer e se desenvolver com saúde.

Para que não ocorram os enganos quanto as vacinas aplicadas, cada criança recebe uma carteira de vacinação ainda na maternidade. Nessa carteirinha consta consta todos os dados referentes à criança.

Além disso, é nessa carteira que são anotadas todas as vacinas já aplicadas com o registro da data comprovando o fato. Tudo isso é necessário para facilitar o controle por parte dos pais.

 

Importância das vacinas

 

Até os 5 anos de idade as vacinas são tão importantes que muitas delas são consideradas obrigatórias. Além disso, o esquema de vacinação em geral é acompanhado por mais de um profissional da saúde.

Todo esse cuidado é importante para que não haja qualquer descuido com atrasos ou mesmo a falta de uma das vacinas. Se porventura, isso acontecer, poderá comprometer a saúde da criança para o resto de sua vida.

O que muita gente não entende é que as crianças não têm um sistema imunológico formado. Por isso, tornam-se alvos fáceis para as doenças.

Portanto, é imprescindível que as crianças recebam essas vacinas, pois elas  protegem contra mais de 15 tipos de doença. Tuberculose, Caxumba, Hepatite do tipo B, são algumas dessas doenças que as vacinas previnem.

vacinas que o bebe deve tomar 490x328 VACINAS que o bebê deve tomar até os 5 anos

 

Reações adversas

 

Hoje em dia, as vacinas que o bebê deve tomar até os 5 anos não apresentam reações adversas que causem maiores preocupações.  Mesmo que doa um pouco no início, essa dor logo passa e a criança se acalma.

É bem verdade que em algumas situações, a criança pode até sentir um pouco de febre e irritação. Porém, nada que possa preocupar, de fato, sendo considerado muito normal.

Vacinas para a criança até os 5 anos de idade

Aqui no Brasil, as vacinas incluídas no calendário do Ministério da Saúde são gratuitas. Mas é importante relembrar que cada uma dessas vacinas precisa ser administrada no tempo certo para evitar complicações.

A fim de facilitar a vacinação, estas são ministradas nos postos de saúde com exceção das primeiras que são aplicadas ainda na maternidade.

Vamos então aos comentários sobre essas vacinas.

Vacina BCG

 

Essa é uma vacina obtida a partir de bactéria Micobacterium Bovis viva atenuada e deve ser aplicada em baixo da pele até 30 dias após o nascimento. Essa vacina é, de fato, importante para proteger a criança contra a Tuberculose.

A Tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível que afeta prioritariamente os pulmões. Entretanto pode acometer outros órgãos e/ou sistema, podendo inclusive, levar à morte.

Dosagem necessária – a vacina BCG é feita com uma dose única, logo depois do nascimento do bebê. No entanto, quando, por algum motivo, isso for possível, pode-se aplica-la em qualquer idade, logo após o primeiro mês de vida.

A aplicação da vacina é feita preferencialmente no braço direito, onde às vezes fica uma cicatriz. Essa vacina é intra-dérmica, ou seja, deve ser aplicada entre a derme e epiderme na pele.

Algumas contra-indicações – apesar de necessária, existem algumas contra-indicações para essa vacina, tais como:

  • quando o indivíduo apresenta sintomas do HIV com sorologia positiva.
  • A vacina também não é recomendado para recém-nascidos com peso inferior a 2,0 kg.
  • Para pessoa com hipersensibilidade aos componentes da vacina.

Atenção – em regiões onde existe uma alta prevalência da Tuberculose, recomenda-se a vacinação de crianças até 7 anos de idade que vão à escola.

Essa recomendação é dada com o intuito de proteger as crianças que, por ventura não apresentam o esquema de vacina completo contra a tuberculose. Semelhantemente pode ser aplicada contra a Hepatite B.

 

Vacina contra a Hepatite B

 

Essa vacina deve ser aplicada até 24 horas após o nascimento da criança. A vacina é recomendada com o intuito de proteger contra a Hepatite Cronica.

Talvez você não saiba, mas a hepatite crônica ataca o fígado quando existe uma ocorrência do vírus da doença. Além disso, a vacina também deve ser aplicada aos 2 meses de idade e aos 6 meses de idade.

A vacina contra hepatite B deve ser administrada por via intramuscular. Dessa forma, o local da aplicação pode ser na região deltoide, ou no vaso lateral da coxa em crianças pequenas ou no deltoide para os adultos.

Ainda é importante mencionar que essa vacina não deve ser aplicada na região glútea ou por via subcutânea. Se assim for, a vacina perde parte de seus efeitos.

Nota – a vacina contra hepatite B com toda a certeza poderá ser aplicada juntamente com outras vacinas do calendário vacinal. Felizmente, não existe nenhum risco de comprometer sua eficácia.

 

Vacina contra a Poliomelite

 

Essa é uma vacina oral que é obtida a partir do próprio vírus, porém enfraquecido.

De acordo com o Ministério da Saúde a vacina contra a Polio deve ser aplicada seguindo o seguinte esquema: Três doses a partir dos dois meses de vida.

Nesse caso, ainda é preciso respeitar um intervalo de 60 dias entre as vacinações. Dessa forma, entende-se que ela é administrada aos dois, quatro e seis meses de idade do bebê.

Depois disso, um primeiro reforço deverá ser aplicado entre os 15 e 18 meses de vida e então, mais tarde, aos 4 anos de vida. Entretanto, ela pode ser tomada até os 4 anos nas campanhas de vacinação.

Ainda sobre essa vacina, as 2 primeiras doses são injetáveis. Porém, a terceira dose, a criança já sentirá menos, pois ela passa ser oral.

Atenção – essa vacina não pode ser aplicada se acaso a criança apresentar febre moderada ou alta.  Nesse caso, deverá ser adiada até que a febre deixe de existir.

Vacina DTP e HIB

Também conhecida como Tetravalente, essa vacina protege ao mesmo tempo contra a Difteria, Tétano, Coqueluche. Ademais, a vacina protege contra as infecções graves provocadas pelo Haemophilus Influenzae do tipo B.

A vacina deve ser aplicada nos bebês a partir do segundo mês de vida seguindo o seguinte esquema: aos 2 meses de vida, aos quatro meses e aos 6 meses de vida.

Depois disso, ainda tem mais duas doses de reforço. Assim que uma dessas doses deve ser tomada antes dos 12 meses e depois aos 15 meses de vida a última dose.

Ademais, se acaso esse esquema não puder ser cumprido, recomenda-se cumprir esse esquema de vacina antes que a criança complete 12 meses de vida.

Atenção – a combinação das vacinas DTP e HIB não deve ser aplicada em crianças com 7 anos de idade ou mais.

Ainda é importante lembrar que esta vacina também protege contra a Hepatite do tipo A.

Reações adversas – a vacina pode oferecer reações adversas até 2 dias após a administração, tais como:

  • Vermelhidão no local da aplicação,
  • Inchaço,
  • Febre acima de 38º C,
  • Dor.

Vacina contra o Rotavírus

A vacina contra o Rotavírus é preparada a partir do vírus vivo atenuado e protege contra a Gastroenterite grave que leva muitas crianças à óbito. A vacina é aplicada em duas doses por via oral.

Na verdade, existem dois tipos de vacina, sendo que uma dessas vacinas (Monovalente VRH1), combate um Rotavirus apenas. Já o outro tipo de vacina (Pentavalente VR5), combate 5 virus.

Entretanto, ambas as opções em vacinas devem ser aplicadas em duas doses. Primeiramente aos 2 meses de vida e depois disso, aos 4 meses de vida.

Reações adversas dessa vacina – as reações adversos mais comuns são:

  • Perda do apetite,
  • Irritabilidade.

Além disso, podem ocorrer reações adversas eventuais, tais como:

  • Vômitos,
  • Diarreia,
  • Regurgitação,
  • Desconforto ou dor abdominal,
  • Febre nos primeiros dias após a aplicação da vacina.

 

Vacina Pneumocócica 10 (combinada)

 

A vacina Pneumocócica 10 é indicada para proteger contra doenças como Meningite, Otite Aguda, Sinusite e Pneumonia. Sua aplicação deve ser feita aos 2 meses de idade, aos 4 meses e aos 6 meses de idade.

Além disso, ainda tem a dose de reforço que deverá ser administrada quando a criança completar o primeiro ano de vida.

Essa vacina é administrada por via intramuscular na área do vasto lateral da coxa da criança. De forma alguma ela deverá ser administrada por ia intradérmica ou intravascular.

Efeitos adversos dessa vacina – os efeitos adversos mais comuns dessa vacina são:

  • Rubor no local da aplicação,
  • Irritabilidade,
  • Sonolência,
  • Perda do apetite.

 

Vacina Meningocócica C

 

A vacina Meningocócica C é indicada para prevenir as doenças provocadas pela bactéria Neisseria Meningitidis do sorogrupo C. Essa bactéria é causa de infecções graves que, por vezes chegam a ser fatais.

Como resultado da ação dessa bactéria, muitas crianças são acometidas de Meningite ou Sepse.

A vacina deve ser aplicada em três doses ainda durante o primeiro ano de vida. Ademais, é preciso administrar uma dose de reforço aos 15 meses de vida.

No entanto, se a criança já tem mais de 1 ano de vida, a recomendação é de uma dose apenas.

A vacina deve ser administrada por via intramuscular profunda. Porém, deve-se dar preferência para uma aplicação na área mais próxima da frente e de fora da coxa da criança.

 

Vacina contra a Febre Amarela

A vacina contra a Febre Amarela protege contra essa doença que é causada pelo vírus da família dos Flavivírus causador de doenças em humanos e outros vertebrados.

A fim de deixá-lo melhor informado, precisamos mencionar de que a Febre Amarela é considerada aguda e hemorrágica. A doença recebe esse nome por causar a Icterícia, um sintoma que deixa os olhos, a pele e as mucosas com um aspecto amarelado.

A vacina contra a Febre Amarela é aplicada por via subcutânea, na região do braço. O efeito começa a partir do décimo dia depois da administração e garante a imunidade por pelo menos 10 anos.

Depois de 10 anos, recomenda-se tomar a vacina antes de viajar para regiões onde existem casos da doença. Como resultado de sua ação, o organismo produz sua própria proteção para resistir ao vírus.

 

 Vacina contra o Sarampo, a Caxumba e a Rubéola

 

Conhecida como Tríplice Viral essa vacina é aplicada aos 12 meses de vida e aos 15 meses. Entretanto, é preciso que se entenda, que a criança só ficará realmente imune a partir da segunda dose da vacina.

Essa vacina que contém os vírus da Caxumba, Rubéola e Sarampo atenuados, deve ser aplicada por via subcutânea no braço.

Já adiantamos acima que essas vacinas que o bebê deve tomar até os 5 anos não oferecem efeitos colaterais mais preocupantes.Todavia, é importante que o calendário de vacina seja seguido de forma correta.

Por isso, é responsabilidade dos pais, principalmente da mãe, atentar para os cuidados com a vacinação da criança. Todas as vacinas necessárias para proteger as crianças, se encontram a disposição gratuitamente nos postos de saúde.

Portanto, tudo é facilitado, pois os pais só precisam se preocupar em levar a criança para ser vacinada.

Leia também:
Conheça as Vacinas que o bebe deve tomar

Vacinas para Mulheres Gestantes Recomendadas e Indispensáveis

Remédio Infantil para Febre e dor no Corpo, Nomes

Repelente para Bebê ( Nomes, Preço, Como Usar )

Caxumba em Bebê e criança Pequena, Tratamento