A Injeção Anticoncepcional para não Engravidar, entenda

 

Graças aos avanços da ciência, em nossos dias já é possível encontrarmos a injeção anticoncepcional para não engravidar. Essa é uma opção bem aceita pelas mulheres que temem uma possível gravidez.

Entretanto, antes de tomar uma decisão por esse tipo de contraceptivo, é importante conhecer um pouco mais sobre esse medicamento.  Por isso, vamos tecer alguns comentários sobre os tipos de contraceptivos injetáveis  encontrados no mercado.

No entanto, já vamos adiantando que, também esse medicamento oferece seus riscos de efeitos adversos. Por isso, é importante pensar muito bem antes de decidir usá-lo.

Ademais, para seu próprio bem, nada de se auto-medicar. Primeiramente é necessário buscar por um médico especialista para saber com segurança da possibilidade de usar ou não o medicamento.

 

O que é

 

A injeção anticoncepcional é um método contraceptivo que está sendo cada vez mais buscado pelas mulheres. Em nossos dias com uma vida mais corrida, certamente elas podem esquecer do contraceptivo diário, correndo risco de engravidar.

O contraceptivo injetável é um medicamento que apresenta hormônios em sua fórmula. Com o propósito de impedir a concepção, esse medicamento pode apresentar apenas o hormônio Progesterona ou combinando com o Estrogênio.

Ademais, esse tipo de injeção é encontrada com versões diferentes. Nesse caso, pode-se optar por uma aplicação mensal ou então trimestral sendo recomendada a aplicação geralmente na região glútea.

Para esse tipo de medicamento contraceptivo, os efeitos reversivos começam a acontecer cerca de 9 meses após ter sido injetada a última injeção trimestral.

Dessa forma, após esse período sem receber o medicamento, a mulher volta a ter condições de engravidar sem maiores riscos.

Em geral, os estrógenos mais utilizados nos contraceptivos injetáveis são:

  • Cipionato de Estradiol,
  • Enantato de Estradiol,
  • Valerato de Estradiol.

Por sua vez, os progestágenos mais utilizados são:

  • Acetato de Medroxiprogesterona,
  • Enantato de Noretindrona,
  • Acetofenida de Di-hidroxiprogesterona.

É bom saber…

O que muita gente não entende é que o anticoncepcional injetável possui o mesmo mecanismo de ação das pílulas. O medicamento suspende a ovulação, reduz a espessura do endométrio e espessa o muco cervical.

Ademais, o fluxo menstrual pode diminuir por conta da maior quantidade de hormônios encontrados na fórmula.

Sabendo disso, algumas mulheres poderão pensar melhor antes de trocar o tipo de contraceptivo que estão usando.

Não devemos esquecer que o injetável apresenta reações adversas mais severas que a pílula, especialmente quando se trata da injeção para 90 dias.

 

Quando é Aplicada

 

Para uma mulher com ciclo menstrual normal que não está usando pílula e nem um outro tipo de medicamento anticoncepcional, a primeira injeção deve ser tomada até o 5° dia do ciclo. Depois disso, a cada 30 dias ou a cada 90 dias, dependendo do tipo de injeção que será usada.

Porém, é importante lembrar que existe um tempo aproximado de 7 dias de tolerância a partir da data ideal. Mas, nesse caso, existem riscos de ocorrer uma gravidez.

Para as mulheres que optarem pelo medicamento após o parto, deve-se tomar a injeção entre 21 e 28 dias após ter ocorrido o parto. Já em casos em que houve um aborto ou então quando a mulher vai mudar da pilula para a injeção, essa pode ser aplicada logo que se desejar.

Além disso, se acaso a mulher teve relações sexuais sem usar métodos contraceptivos, antes de tomar a injeção precisará fazer alguns exames para saber se não existe risco de estar grávida.

Esse tipo de medicamento deve ser aplicado por um médico, enfermeiro ou farmacêutico e nunca diretamente pela mulher ou outra pessoa que não esteja ligada à área médica.

Deve-se entender que não se trata de uma simples injeção, pois quando aplicada de forma errada pode não apresentar os efeitos esperados.

 

Mensal ou Trimestral

 

Com respeito a injeção anticoncepcional para não engravidar, já adiantamos que existe a opção para ser aplicada a cada 30 dias ou a cada 90 dias. Certamente, as duas opções são muito eficazes, porém, a opção em injeção com duração de 90 dias apresenta menos efeitos adversos ou contra-indicações.

A injeção anticoncepcional com validade para 30 dias é composta de hormônio Progesterona e Estrogênio.  Enquanto que a opção em injeção com validade para 90 dias é composta apenas pelo hormônio Progesterona, o que torna esse medicamento mais aceitável.

Porém, independente do tipo de injeção que será usada, somente um médico ginecologista poderá recomendar a melhor opção. Primeiramente ele deverá realizar os exames necessários na paciente e saber de sua  condição de saúde.

Eficácia desse medicamento

 

Como resultado de sua eficácia, o anticoncepcional injetável, certamente é um método muito confiável quando a intenção é evitar a concepção. Na verdade, a sua eficácia pode chegar muito próxima a 100%.

Além disso, quando utilizada juntamente com a camisinha para se proteger contra DSTs, essa eficácia é ainda maior.

E para quem acredita que esse medicamento funciona apenas como contraceptivo, se engana. Em algumas situações, ele pode ajudar também a resolver problemas como:

  • Hiperandrogenismo (excesso de hormônio masculino),
  • Dismenorreia (cólicas no baixo ventre),
  • Tensão menstrual,
  • Menorragia (excesso de fluxo menstrual).

Onde é Aplicada

 

Com respeito ao local da aplicação da injeção anticoncepcional para não engravidar, essa deve ser aplicada em uma região intra-muscular profunda.  Assim sendo, poderá ser aplicada nas nádegas na parte superior externa da região glútea ou então no braço.

Também é importante lembrar que após a aplicação da injeção, não se deve fazer aquela massagem rotineira que muitos profissionais fazem no local, até mesmo para amenizar a dor.

Entre os locais para a aplicação, ainda a região das nádegas é o melhor local, pois nessa região o glúteo é mais volumoso e permite uma aplicação mais profunda e mais segura para favorecer a absorção do medicamento.

 

Será que Engorda?

 

Com respeito aos riscos de uma injeção contraceptiva engordar, na verdade, o ganho de peso é um dos efeitos adversos dessa injeção. No entanto, aquela com validade para 30 dias oferece maiores riscos para isso, pois é composta de 2 hormônios.

O que acontece é que a reação desse medicamento no organismo provoca a retenção de líquidos. Porém, uma alimentação correta e as atividades físicas diárias podem corrigir esse problema, pelo menos em parte se acaso, ele existir.

Sobre o risco de engordar, sabemos que as pilulas anticoncepcionais também promovem o ganho de peso. Então, para evitar que isso aconteça, melhor é corrigirmos a alimentação e buscar por hábitos de vida saudável.

Então uma dica ideal, com toda a certeza é: prefira alimentos não industrializados, tais como: cereais integrais, frutas, verduras, legumes, castanhas.

Ademais, não beba refrigerantes ou sucos industrializados e, muito menos bebida alcoólica. Antes disso, invista em sucos naturais, preparados com frutos e vegetais de boa qualidade, sempre que possível, ingerido com o bagaço.

Efeitos Colaterais

 

Entre os efeitos colaterais que podem ocorrer devido a reação da injeção anticoncepcional podemos citar:

  • Alterações no ciclo menstrual, podendo ocorrer o excesso de sangramentos ou mesmo a ausência da menstruação,
  • Cólicas menstruais,
  • Tonturas,
  • Náuseas,
  • Vômitos,
  • Pode provocar dor de cabeça, dor nos seios e dor nas pernas mesmo com o corpo em repouso,
  • Prurido vaginal,
  • Alterações na libido e emocionais,
  • Pode causar a retenção de líquidos,
  • Riscos de desenvolver doenças cardiovasculares especialmente nas mulheres fumantes,
  • Perda da fertilidade que pode durar de 6 meses a 12 meses, mesmo depois de suspender a medicação.
  • Riscos de engordar.

Esses efeitos adversos são os mesmos apresentados pelo uso das pílulas anticoncepcionais. Entretanto, costumam ser menos severos, uma vez que os estrógenos usados na fórmula, são naturais.

Contra-indicações

Apesar da grande preferência por esse tipo de contraceptivo, a injeção anticoncepcional, nem sempre pode ser usada. Veja a seguir quando ela é contra-indicada:

  • Para pessoas com sensibilidade aos componentes da fórmula no medicamento,
  • Para mulheres grávidas,
  • Para mulheres que estão amamentando até 6 semanas após o parto,
  • Para mulheres com câncer de mama atual,
  • Para mulheres que apresentem suspeita de malignidade hormônio-dependente,
  • Para mulheres que apresentam doença vascular,
  • Para mulheres com hipertensão grave,
  • Para mulheres com quadro de dor de cabeça graves ou neurológicos focais,
  • Para mulheres com histórico de cardiopatia isquêmica ou valvar em estágio complicado,
  • Para mulheres com diabetes,
  • Para mulheres com nefropatia, retinopatia, neuropatia ou alguma outra doença vascular com período maior de 20 anos.
  • Para mulheres que fazem uso do tabaco,
  • Para mulheres com mais de 35 anos,
  • entre outras situações.

Como se pode perceber, as contra-indicações para o uso do anticoncepcional injetável são muitas. Portanto, antes de decidir pelo uso desse medicamento em sua vida, busque por um bom médico e faça os exames necessários.

Somente depois de avaliar sua condição de saúde, o médico poderá recomendar a melhor opção em contraceptivo. Nessa hora, não basta querer mudar de medicamento, é preciso ter condições de saúde para isso.

Além disso, se você começar a usar esse medicamento, especialmente se optar pela injeção de 90 dias. Pense que se existir problemas de saúde, os efeitos dessa injeção também vão demorar mais para passar.

Vantagens do contraceptivo injetável

O uso do contraceptivo injetável pode conferir algumas vantagens, veja a seguir:

  • Tem prazo de validade para 1 ou 3 meses – nesse caso, a mulher vai ter menos riscos de uma gravidez indesejada,
  • Não requer cuidados diários como um anticoncepcional tradicional,
  • Algumas injeções podem ser usadas durante o período de amamentação,
  • Para algumas mulheres melhora os sintomas provocados pela menstruação, pois reduz o fluxo e as cólicas,
  • Mulheres que não podem usar o Estrogênio, poderão optar pela injeção a cada 90 dias que só contém o Progesterona.
  • Não interfere na vida sexual, diferente das pílulas anticoncepcionais.

Desvantagens do contraceptivo injetável

Apesar das vantagens que a injeção anticoncepcional pode apresentar, também existem as desvantagens, veja a seguir:

  • Exige um controle do número de meses que é aplicada,
  • Entre os efeitos colaterais, para algumas mulheres pode provocar cefaleia e alterações no humor,
  • Existem os riscos de AVC, trombose e ataque cardíaco, especialmente quando se opta pela injeção de 90 dias,
  • Precisa ser aplicada por um profissional e ainda pode provocar irritação e desconforto no local da aplicação,
  • Os riscos de ganho de peso é um dos efeitos adversos que pode ocorrer,
  • A injeção não protege de doenças DSTs,
  • Pode provocar uma irregularidade no ciclo menstrual,
  • Como resultado de seu uso, mulheres que desejarem engravidar, precisarão esperar até 12 meses após a última administração. Isso para quem optar pela injeção de 3 meses.

 

Nomes comerciais e Preço

 

Alguns nomes de injeção anticoncepcional mensal

  • Mesigyna – ampola com 1 ml tem um valor aproximado de R$ 33,00 reais.
  • Perlutan – a ampola com 1 ml tem um valor aproximado de R$ 19,00 reais.
  • Pregnolan – a ampola com 1 ml tem um valor aproximado de R$ 15,00 reais.
  • Ciclovular – a ampola com 1 ml tem um valor aproximado de R$ 17,00 reais.
  • Noregyna – a ampola com 1 ml tem um valor aproximado de R$ 29,00 reais

Alguns nomes de injeção anticoncepcional Trimestral

  • Depo Provera – a ampola com 1 ml tem um valor aproximado de R$ 37,00 reais.
  • Contracep – a ampola com 1 ml tem um valor aproximado de R$ 23,00 reais.