Anticoncepcional para quem AMAMENTA ( Lactantes )

Mesmo sabendo que a amamentação tem um resultado contraceptivo, uma vez que a mulher normalmente nem menstrua, é necessário a adoção de um método Anticoncepcional para quem AMAMENTA, pois o risco de engravidar é sempre muito grande.

Depois do parto quando o tempo de resguardo passar, quando a mulher volta a sua atividade sexual normal, mesmo que essa queira engravidar novamente, o conselho é esperar pelo menos 6 meses em caso de parto normal e 9 meses se foi cesárea, pois o organismo precisa de recuperação.




E como não se pode prever com exatidão quando será a primeira ovulação após o parto, é necessário a prevenção. A escolha do melhor método contraceptivo deve ser feita com a orientação de um médico que indicará o melhor e tirará todas as dúvidas possíveis.




Porque não posso tomar qualquer anticoncepcional?

Os contraceptivos comuns possuem geralmente dois tipos de hormônios, a progesterona e o estrogênio, sendo que este último não é aconselhável no período de lactação. 

Normalmente os contraceptivos para lactantes são a base de progesterona sintética, um hormônio que já está no organismo feminino, e usados sob orientação médica,  previnem a gravidez e auxiliam na produção de leite.

Mas,  apesar de não se ter definição completa sobre o assunto, sabe-se de que o efeito do anticoncepcional acaba passando pelo leite ao bebê, e poderá ser prejudicial a longo prazo. É por isso que o aconselhável é usar a mini pílula enquanto estiver amamentando.

Anticoncepcional Minipil

O Minipil é um contraceptivo a base de progesterona sintética que pode ser usado por mulheres na fase de amamentação.

De baixo custo, em média de 8,00 a 12,00 reais, esta pílula se mostra bastante eficiente e pode ser comprada sem a necessidade de apresentar receita médica.

Seu uso deve ser diário com intervalo de 7 dias ao final da cartela.

Anticoncepcional Micronor

Outro contraceptivo com baixo teor hormonal a base de progestrogênio puro, que é indicado para mulheres após o parto e que estão em período de lactação. Este contraceptivo também ajuda na melhora do humor.

Seu uso deve ser contínuo sem intervalo entre uma cartela e outra.

De baixo custo, seu preço pode variar até 12,00 ou 13,00 reais a cartela.

Anticoncepcional Cerazette

Este é um contraceptivo que traz como princípio ativo o progestágeno isolado desogestrel, e é indicado seu uso por mulheres lactantes logo após o parto.

Seu uso também deverá ser contínuo, sem intervalo entre uma cartela e outra. E normalmente a menstruação deverá aparecer após a 4ª semana de uso.

Para dizer seu preço exato fica difícil, pois como você sabe o mercado é bastante competitivo e também explorador. então pode variar muito de 26,00 até 124,00 reais, dependendo do estabelecimento.

Injeção para 90 dias Depo Provera

Este contraceptivo que também é a base de progesterona é injetável e tem a duração de efeito de 3 meses mais ou menos, devido a sua fórmula mais concentrada.

Este é um medicamento que mesmo que necessite, não pode ser interrompido seu efeito, antes que se cumpra o prazo. Mas mostra-se bastante seguro e bastante aceitável.

Com preço variável entre 25,00 a 46,00 reais em média, é uma boa opção.

Os efeitos positivos e negativos dos contraceptivos na amamentação

Os efeitos positivos desses medicamentos estão no fato de que ajudam a evitar a gravidez durante o período de lactação.

Por outro lado, pode acontecer de aparecerem efeitos negativos como sonolência, sensibilidade e aumento das mamas, aumento de peso e retenção de líquido, e também a diminuição do leite em alguns casos, e os escapes que são bastante comuns no uso de contraceptivos a base de progesterona.

Até quando fazer uso destes contraceptivos

Devem ser usadas durante todo o tempo de amamentação, mas quando o bebê diminui as mamadas para 1 ou 2 vezes ao dia, é hora de voltar a usar outros tipos de contraceptivos usados anteriormente à gravidez.

A diminuição nas mamadas normalmente se dá a partir dos 9 meses a 1 ano de idade. Mas, é de suma importância que essa mudança de medicamento seja sob orientação médica.

Cuidados que se devem ter ao começar a tomar a pílula

Para garantir de que não ocorrerá uma gravidez indesejada já seguida da outra, o ideal é que estes contraceptivos comecem a ser tomados 15 dias após o parto, mas nada impede que seja em outros momentos da lactação.

E para garantir de que não ocorrerá gravidez, é importante só manter relações sexuais após 15 dias de uso da pílula. 

É necessariamente importante que este contraceptivo seja usado diariamente e rigorosamente no horário durante todo o tempo de amamentação. E deve ser uma cartela seguida da outra, sem intervalos.

Depois que o bebê começar a mamar 1 ou 2 vezes ao dia, já será necessário que a mulher volte a tomar o contraceptivo com a combinação de 2 hormônios para ser mais seguro.

A amamentação impede a gravidez

Isso só funcionará como contraceptivo se o bebê mamar exclusivamente no peito, sem qualquer outro complemento, pois por mamar muitas vezes durante o dia, evitará que o organismo entre em período fértil, não acontecendo a ovulação.

Porém, muitas mulheres já engravidaram mesmo assim, e portanto, o melhor é prevenir para não ter uma gravidez logo seguida da outra.

Então é isso, você já tem informações suficientes para fazer tudo direitinho e não cair numa situação inesperada de gravidez.







Leia também: