Como é o PARTO HUMANIZADO dicas para futuras mamães

Você provavelmente já deve ter ouvido falar sobre o Parto Humanizado, um processo que está em alta e tem feito a cabeça de muitas mulheres. Mas você sabe Como é o PARTO HUMANIZADO? Como acontece?

Se sabe, ótimo, se não, não tem problema, pois é justamente para isso que estamos aqui, para te ajudar a tirar suas principais dúvidas e deixar você bem a par de tudo o que acontece.

E para entender de uma vez tudo isso, é legal aprender a diferença entre parto normal e humanizado. E é sobre isso que vamos começar tratando.

Então, como é o parto normal?

 

Tradicional, o ‘parto normal’ é feito em ambiente hospitalar assistido, e é o conhecido parto vaginal.

Procedimentos de um parto normal

 

Entre os procedimentos normais  para um parto normal estão:

parto humanizado 490x326 Como é o PARTO HUMANIZADO dicas para futuras mamães

  • Raspagem dos pêlos pubianos
  • Esvaziamento da bexiga através de sonda
  • Jejum total de pelo menos 6 horas antes
  • Lavagem intestinal antes do parto
  • Punção venosa permanente
  • Intervenção de assistência no processo do parto e administração de medicamentos
  • Toques vaginais repetitivos
  • Ruptura da bolsa antecipada
  • Corte no períneo
  • Uso de forceps se necessário

E Como é o PARTO HUMANIZADO?

 

Já o Parto Humanizado consiste num conjunto de procedimentos e condutas que permitem um parto sadio, respeitando o processo natural, sem interferências que venham a colocar em risco tanto a vida da mãe como do bebê.

Segundo a OMS(Organização Mundial de Saúde) de 2000: ” Humanizar o parto é um conjunto de condutas e procedimentos que promovem o parto e o nascimento saudáveis, pois respeita o processo natural e evita condutas desnecessárias ou de risco para a mãe e o bebê.”

Foi na década de 70 que através de Frederick Leboyer, médico Francês da Clínica Obstétrica da Faculdade de Medicina de Paris, começou a ser questionada a questão parto e o excesso de intervenções naquele que deveria ser um ‘parto normal’. É aí que surge o conceito de ‘parto humanizado’.

Porque optar por Parto Humanizado?

 

Conforme o Manual Técnico de Assistência Pré natal do Ministério da Saúde do Brasil – 2000:

A humanização da assistência ao parto pressupõe a relação de respeito que os profissionais da saúde estabelecem com as mulheres durante o processo de parturição.”

Nesse sentido alguns conceitos devem ser levados em consideração como:

  • Necessidades
  • Valores individuais
  • Sentimentos da parturiente durante todo o tempo de gravidez

Direitos da gestante

 

  • Direito da mulher de escolher onde vai fazer o parto
  • Direito a um acompanhante que a mulher queira na hora do parto
  • E a manutenção do bem estar físico e psicológico durante o processo da gestação e do parto
  • Respeito a sua recusa a certas situações que lhe causem dor ou constrangimento

Humanizar o parto é respeitar e criar condições para que todas as dimensões do ser humano sejam atendidas: espirituais, psicológicas, biológicas e sociais.”(Largura, M.L.-1998)

Características de um parto Humanizado

 

Um parto humanizado se caracteriza primeiramente por “condutas delicadas e não agressivas, quando o bebê sai da barriga da mãe.

Assim, o bebê deverá  se deparar com um ambiente adequado e aconchegante. Que saiba esperar o tempo necessário para então cortar o cordão umbilical.

Para que este aprenda a respirar por conta própria, usando seus pulmões. E  tenha tempo para se adequar ao novo mundo no qual agora se encontra.

Outras características de um Parto Humanizado

 

  • Logo após o parto o colo materno deverá ser oferecido a criança para o contato pele a pele
  • A temperatura do ambiente deve estar adequada
  • O seio materno é oferecido para que o bebê tenha a chance de sugar ainda na primeira hora de vida

Procedimentos como estes, fazem com que o vínculo afetivo entre o bebê e a mãe sejam fortalecidos, e ajudam na aquisição de defesas do organismo com maior eficiência.

Para a mãediferente do que no parto normal, neste ‘humanizado’ os procedimentos de intervenção só serão aplicados quando necessários.

Todo o processo natural da parturição deve ser respeitado ao máximo. E este processo começa já nos primeiros dias de gravidez quando começa o acompanhamento médico da gestante.

Durante toda a gestação, a mãe deverá ter acompanhamento de cuidados físico e emocional dos profissionais da saúde, respeitando sua individualidade sempre que possível, garantindo-lhe a liberdade de mobilidade e posição.

A mulher deverá ter tempo para entrar em trabalho de parto naturalmente, sem que este seja apressado ou induzido.

O que não deve ter num parto humanizado?

 

Devem ser evitados:

  • Aspiração sistemática do nasofaringe do recém nascido normal e em condições adequadas
  • Não deve ser apressado

Quem pode fazer o Parto Humanizado?

 

Qualquer mulher poderá fazer o Parto Humanizado, pois todas tem condições, desde que estejam sendo acompanhadas pelo médico e este perceba a dilatação necessária e outros pontos necessários para que isso aconteça sem riscos tanto para o bebê como para a mãe.

Riscos – Mas se no decorrer da gravidez, o médico perceber que existem possibilidades de riscos para o bebê e mãe, outros procedimentos devem ser tomados, tudo para manter a integridade de ambos.

Fazer ou não o Parto humanizado?

 

É de suma importância que durante a gestação a mulher vá preparando tanto seu físico como seu psicológico para este momento do parto.

No pré natal é que a mulher deverá se preparar, se conscientizar, escolher o local, escolher a equipe médica e tudo o que for do desejo do casal para que o Parto Humanizado aconteça.

 

Benefícios do parto humanizado

 

Para a mãe

Num parto assim, a mãe será a protagonista, e as intervenções somente acontecerão se realmente forem necessárias.

A parturiante será acolhida emocionalmente, justamente num momento de muita fragilidade.

  • A mãe será a progagonista;
  • Intervenções cirúrgicas somente quando necessário;
  •  ambiente acolhedor;
  • Rápida recuperação;
  • Maior vínculo com o bebê.

Para o bebê

A não ser por estrita necessidade, o parto deverá totalmente humanizado, sem intervenção de cesárea.

Sendo assim, o bebê deverá nascer via vaginal, o que lhe garantirá maior imunidade e também benefícios ao sistema respiratório. O bebê também ficara mais protegido contra vários tipos de doenças.

Os bebês que nascem de parto humanizado, nascem mais tranquilos porque nascem na hora certa, e portanto não choram escandalosamente.

Além do mais, esse bebê não sofrerá com nenhuma intervenção desnecessária como a aspiração, colocação de colírio nos olhos, esfregação e banho precoce. E, certamente, não sairá de perto da mãe, o que garantirá o estabelecimento de maior vínculo com a mãe.

  • Potencialização do sistema imunológico e respiratório do bebê;
  • Menor riscos de contrair doenças;
  • Maior vínculo com a mãe;
  • Maior segurança ao sair do útero materno;
  • Intervenção cirúrgica somente se necessário.

Para o médico obstetra

A maior certeza de que está fazendo um trabalho de parto de acordo com as recentes evidências científicas.

 

Como escolher o médico humanizado

 

Hoje já existem clínicas e hospitais que oferecem equipes inteiras.

Porém, ainda a melhor maneira de escolher um médico obstetra, é sem sombra de dúvidas, através da experiência vivida por outras mulheres.

 

Qual é o papel da Doula?

 

Certamente que o papel da Doula é o de informar, tranquilizar, auxiliar e acolher a gestante nas questões que envolvem o emocional, nas ações antes do parto e no momento do nascimento.

Na verdade, a Doula é como se fosse uma assessora da gestante diante o médico, interpretando tudo o que ela queira dizer.

É importante ter uma Doula, pois a presença desta faz com que reduza o tempo de parto, a necessidade de analgésico, e a quantidade de intervenções.

E, consequentemente a satisfação será bem maior. Ao mesmo tempo, o processo de amamentação será bem mais tranquilo.

 

Como é a Cesárea Humanizada

 

Esta poderá acontecer em apenas 10 a 15% dos casos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, e quando estritamente necessário. Mesmo assim, existem algumas recomendações que devem ser seguidas como:

  • Os braços da mãe não deverão ser amarrados;
  • A luz da sala de cirurgia deverá ser baixa;
  • O campo cirúrgico deverá ser baixado para que a mãe veja o procedimento;
  • O cordão umbilical deverá ser cortado tardiamente;
  • aclimatizar o ambiente para que a temperatura fique agradável para que a mãe não sinta frio;
  • Colocar uma música ambiente suave;

 

Condutas adequadas para a Humanização do parto

 

É importante conhecer até onde a parturiente tem direitos. Confira eles aqui:

  • Direito a escolher quem será o acompanhante durante o trabalho de parto e nascimento;
  • A parturiente deverá ser comunicada de todos os procedimentos que serão tomados e deverá ser ouvida sobre sua vontade ou não. Nada poderá acontecer sem o consentimento da mulher;
  • A mulher tem direito ao máximo de respeito, dignidade, confidencialidade e privacidade;
  • A parturiente poderá ser assistida com técnicas de relaxamento para a dor, massagens, música ambiente e incentivo a técnicas de respiração para aliviar a dor;
  • É importante que lhe sejam oferecidos água e alimentos, mesmo durante o trabalho de parto;
  • A mulher deverá escolher a posição mais cômoda para dar a luz, e sua decisão deverá ser respeitada;
  • A equipe médica deverá oferecer possibilidades de aliviar e evitar lesões do períneo como compressas quentes e massagens;
  • Assim que o bebê nascer deverá ser entregue para entrar em contato direto com a pele da mãe;
  • Se são saudáveis, mãe e bebê jamais deverão ser separados nos primeiros dias;
  • Assim que o bebê nascer, já deverá ser estimulado a amamentação.

 

Condutas inadequadas para o parto humanizado

 

Conheça também algumas condutas que jamais poderão acontecer. Entre elas:

  • A esterilização vaginal com clorexidina, segundo a Organização Mundial da Saúde, jamais deverá acontecer;
  • A depilação pubiana;
  • A lavagem intestinal;
  • Cardiotocografia em grávidas saudáveis;
  • A negação da analgesia;
  • Aceleração do trabalho de parto;
  • O rompimento da bolsa amniótica;
  • A episiotomia, o corte entre a vagina e o ânus;
  • A Manobra de Kristeller, que é o ato de aperta a parte superior do útero para acelerar o parto;
  • O corte do cordão umbilical antes de um minuto do nascimento;
  • A aspiração nasal do bebê.

E por fim, agora você já sabe Como é o PARTO HUMANIZADO. E segundo a Organização Mundial da Saúde, um parto humanizado é uma prática saudável, pois respeita o processo natural. Ao mesmo passo em que evita as condutas e procedimentos desnecessários para o nascimento do bebê.

É merecido um ambiente acolhedor, e a inserção de ações que saiam do tradicional isolamento, garantindo ética e solidariedade dos profissionais.

O nascimento de um bebê é a coisa mais esperada por uma mãe, e nada melhor do que acontecer de maneira leve e muito amor. 

Leia também:
Fazer parto normal ou cesárea… Saiba as Diferenças

Fases do Trabalho de Parto, O processo de Nascimento do Bebê

Anticoncepcional para quem AMAMENTA ( Lactantes )

Depressão Pós Parto: O que é preciso ser Feito

Como Fazer a Certidão de Nascimento Gratuita, Passos