Supositório Para Bebê, Nomes e Como Usar

 

Supositório para bebê é uma solução medicamentosa conhecida há muitos anos.  Logo que surgiu, já nos anos 70, esse tipo de medicamento era a forma  a forma aceita por médicos e pacientes para tratar as crianças.

Um bom motivo para o supositório – como bem sabemos, um medicamento na forma oral, nem sempre é bem aceito pela criança e com isso, corre-se o risco de ela vomitá-lo mesmo antes de chegar ao estômago.

No entanto, apesar da fama no passado, hoje esses medicamentos quase caíram em desuso. As novas fórmulas nos medicamentos em nossos dias, os tornam mais digeríveis e aceitos pelos pequenos pacientes.

Então, em situações especiais e por segurança, os supositórios de glicerina são recomendados, pois existem menos riscos de efeitos colaterais.

Quando é Indicado

 

O supositório traz em sua fórmula a glicerina e outros laxantes. A intensão desse medicamento é esvaziar o intestino no caso de fezes presas ou a presença de gases.

Como já adiantamos, essa é uma forma de tratamento muito útil quando existe alguma dificuldade para administrar o medicamento por via oral.

Lembrete – é importante que os pais ou responsáveis pelo bebê percebam quando está acontecendo algum problema com o intestino do bebê, pois o supositório só deverá ser usado se de fato houver necessidade.

Porquê os bebês sofrem com intestino preso

 

A princípio, é muito comum que os bebês tenham uma evacuação mais frequente, sem maiores dificuldades. Porém, a partir do segundo mês de vida, começa uma transformação na flora intestinal da criança.

Então, as evacuações se tornam menos intensas, mas ainda assim, tudo pode ser normal, mesmo que ele fique alguns dias sem evacuar.

No entanto, quando chega os 6 meses de vida, a tendência é uma mudança nesses hábitos. Essa é a fase em que começamos a introduzir outros alimentos para o pequeno, o que poderá influenciar.

Portanto, basta um alimento impróprio para a criança, para que o risco de complicações intestinais aconteçam. Na verdade, nesse período existem mudanças em pelo menos 80% dos bebês.

Prisão de ventre, cólicas, constipação e fezes ressecadas. Esses são alguns dos transtornos que poderão surgir no bebê a partir de então.

Certamente, é importante saber o que oferecer para a criança como alimento adicional do leite materno. Antes disso ainda, é importante que a mãe saiba como se alimentar, pois sua alimentação também influencia no leite materno.

No entanto, também precisamos entender que o desenvolvimento do intestino dos bebês precisa acontecer o mais natural possível. Por isso, é necessário saber combinar esses alimentos.

Dessa forma, ao preparar as papinhas do bebê, opte por alimentos que não ressequem e nem soltem demais as fezes. Dessa forma, o organismo da criança vai se acostumando com os novos alimentos.

Além disso, para acertar facilmente nas escolhas, confie na ajuda do pediatra. Após alguns exames, o profissional da saúde saberá recomendar as melhores opções entre os alimentos.

Alguns alimentos que fazem bem

 

Para evitar ter que usar supositório para bebê, podemos indicar alguns alimentos que contribuirão no preparo das papinhas. Veja a seguir:

  • Abacate,
  • Mamão,
  • Manga,
  • Laranja,
  • Milho verde,
  • Gergelim,
  • Lentilhas,
  • Aveia,
  • Ameixa seca,
  • entre outros.

Alimentos que podem prender o intestino

 

Os alimentos a seguir, quando usados com maior insistência, certamente poderão contribuir para prender o intestino.

  • Abóbora,
  • Arroz,
  • Cenoura,
  • Caju,
  • Agrião,
  • Batata doce,
  • Cebola,
  • Couve,
  • Beterraba,
  • Grão de bico,
  • Mandioquinha,
  • entre outros alimentos.

Depois dessa relação de alimentos próprios e impróprios para o preparo de alimentos para o bebê, agora é só agir.

Mas como já adiantamos acima, é importante fazer uma combinação correta entre esses alimentos. Dessa forma, será então possível utilizar todos eles para o preparo de uma alimentação saudável para a criança.

Ademais, mesmo com os incentivos para oferecer alimentos cárneos para as crianças, é importante saber que eles não são saudáveis. Por isso, mesmo que seja apenas um “caldinho de carne”, aparentemente inofensivo, melhor é não oferecer.

Quando paramos para analisar os porquês de tantas doenças no ser humano, não é difícil entender que a alimentação influencia. Se isso é válido para pessoas adultas, muito mais para bebês que ainda estão se desenvolvendo.

Além disso, mesmo algumas fórmulas de alimentos preparadas para os bebês, por vezes, podem contribuir para a prisão de ventre.

Algumas receitas úteis

 

A princípio, podemos evitar o supositório fazendo uso de receitas caseiras que conferem bons resultados.. Veja algumas:

Papinha de aveia com mamão – esse alimento que pode ser oferecido para crianças a partir de 6 meses de vida.

Para preparar é muito simples, basta 3 colheres de mamão com 1 colher de aveia para formar a papinha. Essa é uma mistura rica em fibras e nutrientes e ajudará a manter o intestino da criança saudável.

Essa papinha pode ser oferecida para a criança até 5 vezes na semana de preferência pela manhã. Nesse caso, observe a consistência das fezes da criança para avaliar a necessidade.

 

Papinha de Brócolis com Abóbora

 

Opção para uma refeição salgada, essa papinha é ideal para a hora do almoço.

Cozinhe uma porção de abóbora sem casca e amasse-a diretamente no prato. Em seguida, acrescente uma porção de brócolis picado cozido no vapor.

Cuidado para colocar o mínimo de sal e um pouco de azeite de oliva para o tempero e então, sirva o bebê.

 

Papinha de abacate com banana nanica

 

Mais um alimento para dispensar o supositório, a papinha de abacate com banana nanica é muito nutritiva.

A gordura saudável do abacate favorece o funcionamento do intestino tanto em adultos como em bebês. Além disso, as fibras da banana aceleram o trânsito intestinal.

Por isso, combinando essas vantagens com os nutrientes encontrados nessas frutas, certamente que a papinha será bem vinda.

Prepare a papinha com 2 colheres (sopa) de abacate combinando com 1/2 banana nanica bem madura. Amasse as duas frutas juntas e ofereça para o bebê logo em seguida.

Sintomas da prisão de ventre nos bebês

Entre os sintomas que caracterizam a prisão de ventre nos bebês estão:

  • Desconforto gástrico,
  • Dor de barriga provocando o choro constante da criança,
  • Irritabilidade da criança,
  • Abdome com estufamento e sensível ao toque,
  • Presença de gazes,
  • Dor de barriga que melhora depois que a criança consegue defecar,
  • Presença de sangue nas fezes provocado pelas fissuras na pele do ânus com a saída das fezes ressecadas,
  • Fezes endurecidas, por vezes na forma de pequenas bolinhas,

A presença das fezes mais líquidas, mais frequentes ou em pouca quantidade também pode ser sinal de prisão de ventre. Acontece que com o intestino preso, quando a criança se esforça para evacuar, essas pequenas porções líquidas conseguem sair.

Supositório de Glicerina Granado

 

O supositório de Glicerina Granado é um laxante destinado a prevenir ou tratar a prisão de ventre e facilitar a evacuação. Esse medicamento é recomendado para crianças de até 12 anos de idade.

Substância ativa – esse medicamento contém Glicerol Pediátrico.

Como usar esse supositório – esse supositório é mais longo e mais afinado, projetado justamente para atender aos bebês. Deve-se introduzir o supositório no orifício retal pela parte mais plana e segurar a outra ponta até que o fluxo fecal seja obtido.

Em geral, a dosagem é de 1 supositório por dia, mas é preciso seguir a recomendação médica, pois o tratamento varia conforme o quadro clínico do paciente.

Assim que começam os efeitos do glicerol a evacuação acontece sem dores pois o medicamento faz com que as fezes umedeçam e amoleçam para serem liberadas.

Alguns efeitos adversos

  • Desconforto com irritação retal
  • Dor com câimbras
  • Ardência na região anal

Atenção – esse medicamento não deve ser utilizado em caso de Descompensação Cardíaca grave, Desidratação grave, Anúria bem estabelecida e Edema Pulmonar agudo.

Preço – a embalagem com 12 supositórios tem um valor aproximado de R$ 15,00 reais.

Minilax de bisnaga

 

Minilax é um supositório recomendado para os bebês que também pode ser utilizado pelos adultos. Trata-se de um medicamento que favorece a fluidificação ou amolecimento das fezes, facilitando a evacuação.

O medicamento é indicado para crianças a partir de 2 anos de idade e sua ação começa em no máximo 40 minutos após a administração.

 

Substâncias ativas – cada grama de Minilax contém:

  • 714 mg de Sorbitol a 70%
  • 7,70 mg de Laurilsulfato de Sódio.

Como usar esse medicamento – Corte a ponta da cânula e insira suavemente no interior do reto. Comprima a bisnaga para que todo o conteúdo seja retirado para dentro do orifício retal.

Quanto a dose diária desse medicamento, somente o médico poderá recomendar dependendo do quadro clínico do paciente.

Atenção – esse medicamento deve ser evitado em casos de Hemorragia Aguda ou crises de Retocolite Hemorrágica.

Preço – a embalagem com 7 bisnagas tem um valor aproximado de R$ 35,00 reais.

 

Glicel , Glicerol 0,831 g

 

O Glicel é outro supositório com a função de prevenir e tratar a prisão de ventre e normalizar a evacuação.

Esse medicamento age atraindo água para as fezes com a intenção de amolecê-las e facilitar a evacuação.

Substância ativa – cada supositório contém 0,831 g de Glicerol pediátrico.

Como usar esse supositório – esse supositório, mais afinado e mais alongado é projetado especialmente para atender os bebês e crianças até 12 anos.

Deve-se introduzir a parte plana do supositório no orifício retal segurando-o pela outra extremidade até que advenha a vontade de defecar.

Em geral, a dose diária é de 1 supositório, mas essa recomendação deverá partir do pediatra que está responsável pela criança.

Efeitos adversos – existem alguns efeitos adversos que podem surgir, mas são muito raros. Veja quais são:

  • Cólicas
  • Diarreia
  • Gases
  • Desconforto na região retal

Preço – esse medicamento tem um valor aproximado de R$ 15,00 reais a embalagem com 6 supositórios.

Como Introduzir Corretamente

 

Aparentemente é muito simples introduzir um supositório para bebê no orifício retal, mas quando se trata de um bebê, o trabalho pode complicar um pouco, pois os cuidados devem ser redobrados.

Para que tudo aconteça dentro da normalidade, siga algumas dicas bem úteis:

  • Higienize bem as mãos, antes e depois do tratamento
  • Tenha cuidado no momento de manipular o supositório, pois ele pode se romper facilmente
  • Introduza o supositório pelo extremo plano do orifício anal
  • No momento da introdução do supositório, deite o bebê de barriga para cima, erga suas perninhas e introduza o supositório com cuidado
  • O supositório de glicerina pediátrico é mais longo e mais afinado para facilitar a introdução no orifício retal. A extremidade a ser introduzida no ânus é sempre a mais plana.
  • Ao introduzir o supositório no ânus do bebê é preciso segurar pela outra extremidade por alguns instantes até que o bebê apresente sinais de que vai evacuar.
  • Enquanto você espera pelo sinal da evacuação, mantenha as nádegas do bebê mais juntas para evitar que o supositório seja expulso.

Depois que o supositório penetra no reto, a temperatura do corpo vai derreter toda a composição e logo os efeitos começam a ser percebidos.