Os Exames de rotina para recém-nascido que devem ser feitos

 

A importância de Realizar os exames de rotina para recém-nascido pode detectar possíveis doenças que afetam o bebê. Algumas dessas doenças, podem não apresentar os sintomas de imediato, mas mesmo assim comprometem a saúde do bebê.

Além dos exames feitos logo após o nascimento do bebê, existem outros, necessários para prevenir problemas futuros. É importante que se diga que, esses exames precisam ser feitos ainda antes de o bebê ir para casa.

Conhecido como Triagem Neo-natal, esses exames, são por demais importantes para detectar qualquer complicação com a criança, logo ao nascer.

Por isso, vamos tecer alguns comentários à respeito desses exames e torná-los mais conhecidos.

Exame para verificar o tipo de sangue

 

Nesse exame é identificado o tipo de sangue que a criança tem, e, além disso, identifica-se o fator Rh se é positivo ou negativo. Esse exame é necessário para uma maior segurança no caso de emergências médicas.

A análise é feita a partir da amostra de sangue colhida para o teste do pezinho, 48 horas após o nascimento do bebê. Além disso, trata-se de um exame obrigatório e por isso, pode ser feito gratuitamente pelo SUS.

 

Teste do Pezinho Básico

 

Esse exame feito em laboratório e também é obrigatório. A realização acontece quando é feita a retirada de sangue do calcanhar da criança ou mesmo de uma veia.

A coleta de sangue deve ser feita até 48 horas após o nascimento, depois de o bebê ter sido alimentado. Esse exame é necessário para ativar o metabolismo quando também as doenças metabólicas são detectadas.

Entre as doenças que podem ser detectadas com esse exame, podemos mencionar:

  • Fenilcetonúria (PKU) – essa é uma doença muito séria causada por deficiência no metabolismo do aminoácido Fenilalanina. Ao se acumular no organismo a doença causa lesão cerebral provocando o retardo mental.

Na verdade, o bebê nasce normal, mesmo porquê, os sintomas só se manifestam a partir dos 6 meses de vida. Infelizmente, a doença não tem cura, porém, através de uma dieta alimentar é possível evitar sua evolução.

  • IRT – esse exame detecta a Fibrose Cística, uma enfermidade que ataca os pulmões. A doença é caracterizada pela presença de grande quantidade de muco que gera a tosse.

Além disso, ataca o pâncreas comprometendo o metabolismo. Como resultado desse comprometimento, a criança tem um apetite exagerado, mas se torna desnutrida.

Infelizmente, essa é mais uma enfermidade que não tem cura. Entretanto, quando tratado precocemente, os efeitos podem ser amenizados.

  • THS ou T4 – esse exame detecta o Hipotireoidismo congênito ou a insuficiência do hormônio da tireoide. Sabe-se que esse hormônio é muito necessário para o desenvolvimento do sistema nervoso.

Os sintomas dessa enfermidade demoram a aparecer e enquanto isso, a criança sofre atraso do crescimento e retardo mental. Para aliviar o problema, a criança deverá ser tratada com reposição hormonal.

Outras enfermidades

  •  Eletroforese de Hemoglobina – esse exame detecta doenças sanguíneas, como por exemplo, a anemia falciforme. Essa é uma alteração da hemoglobina dificultando a circulação.

A princípio, essa enfermidade é mais comum entre pessoas da raça negra, podendo provocar lesões nos órgãos. Infelizmente, essa é mais uma doença que não tem cura, mas pode ser amenizada com tratamentos precoces.

 

exames de rotina para recem nascido

Resumindo então, o Teste do Pezinho Básico pode detectar doenças provocadas por desordens de metabolismo, tais como:

  • Hipertireoidismo Congênito,
  • Anemia Falciforme
  • Fenilcetonúria (excesso de aminoácidos no organismo) que pode levar a deficiência mental,
  • Fibrose Cística,
  • Hiperplasia Adrenal Congênita,
  • entre outras.

Teste do Pezinho Ampliado

 

Entre os exames de rotina para recém-nascido, o Teste do Pezinho Ampliado pode detectar até 30 tipos de doenças. Entre essas doenças podemos mencionar:

  • Hiperplasia Congênita da Supra-renal,
  • Deficiência da Biotinidase,
  • Toxoplasmose,
  • entre outras.

Como não poderia ser diferente, o Teste do Pezinho Ampliado, é mais completo e confere maior segurança ao bebê.

Esse exame não é, de fato, obrigatório. Entretanto, pode ser exigido pelo pediatra para garantir maior segurança ao serem realizados os exames na criança.

Infelizmente, ainda não é possível conseguir esse exame pelo SUS, mas existem alguns planos de saúde que favorecem.

 

Reflexo Vermelho

 

Esse é o teste feito com um oftalmoscópio e é aplicado sobre os olhos do bebê para detectar possíveis enfermidades. Trata-se de um exame simples e rápido e por demais importante para detectar problemas oculares congênitos.

Entre as enfermidades que podem ser detectadas com o exame está a Catarata e possíveis tumores. Além disso, ele pode detectar enfermidades que podem levar a cegueira ou defeitos visuais na criança.

Também conhecido como “Teste do Olhinho“, o teste de Reflexo Vermelho não é obrigatório. Porém é importante que os pais solicitem, e para isso, não precisam pagar nada para obtê-lo.

Recomenda-se que o Teste de Reflexo Vermelho seja realizado pelo pediatra logo após o nascimento do bebê. Porém, se o teste não acontecer nesse tempo, é importante que se faça logo na primeira consulta de acompanhamento.

Mas os cuidados não devem parar por aí. Portanto, nas consultas regulares ao pediatra, é importante que os pais requeiram o teste entre os exames regulares de avaliação da criança.

Assim, se acaso algum problema for detectado, o pediatra poderá logo encaminhar a criança para ser avaliada por um oftalmológica.

 

Teste da orelhinha ou triagem auditiva

 

O Teste da Orelhinha deve ser realizado logo nos primeiros dias de vida do bebê. Na verdade, quanto mais cedo, melhor, mas não deverá ultrapassar ao prazo de 30 dias.

Sabe-se que a deficiência na audição afeta grande parte da população. Por isso, se existe a possibilidade de acontecer, é importante detectar o problema logo para poder ser tratado com mais sucesso.

Esse é um direito que todo bebê tem, mas é importante que os pais tomem as providências para que ele aconteça. Infelizmente, muitos hospitais não têm esses cuidados na maternidade, e desconsideram o exame.

Por isso, é necessário que os pais fiquem atentos e exijam do pediatra a realização deste e outros exames necessários para o bebê.

O tempo de duração para esse exame varia entre 5 e 10 minutos e não apresenta nenhuma contra-indicação. Ademais, o exame pode ser realizado enquanto o bebê dorme, sem incomodá-lo, pois não se trata de uma intervenção invasiva.

O método mais utilizado para a Triagem Auditiva Neonatal (TAN) é o Exame de Emissões Oto-acústicas Evocadas (EOAs).

Como é realizado esse teste

Para realizar esse tipo do Triagem Auditiva Neonatal utiliza-se um fone na parte externa da orelha do bebê. Como já adiantamos, o teste demora no máximo 10 minutos  e pode ser feito com a criança dormindo.

Esse exame baseia-se na produção de um certo estímulo sonoro, bem na percepção do retorno desse estímulo. O registro então é feito através de computador quando se avalia a saúde da cóclea (parte interna da orelha).

A partir daí, é emitido um gráfico computadorizado com o diagnóstico seguro.

Se porventura os resultados apontarem possíveis anormalidade no ouvido da criança, outros exames serão necessários, agora mais completos. Dessa vez, deverá ser feita uma avaliação otológica e audiológica mais consistente que levará a um diagnostico mais concreto.

Conclusão …

Bom, a princípio, são esses os exames de rotina para recém-nascido que devem ser realizados. Ademais, devido à importância desses exames, melhor será se eles forem realizados logo nas primeiras 48 horas de vida do bebê.

Sabemos que todo o bebê ao nascer é muito frágil ainda, pois seu desenvolvimento não se completou. Por isso, não devemos descuidar desses pequeninos.

Na verdade, melhor seria se cada profissional da saúde se conscientizasse dessa responsabilidade com as crianças. Assim poderiam tomar a iniciativa e sem serem cobrados, realizarem os exames rapidamente.

 

 


Vale a Leitura