Cirurgia de Redução de Mama pelo SUS, passos

Pouca gente sabe, mas é possível fazer alguns tipos de cirurgia plásticas pelo SUS, e entre elas a Cirurgia de Redução de Mama pelo SUS. Este que é um problema denominado como ‘Gigantomastia’, ou ainda mamoplastia, justamente pelo excesso de seio, é uma necessidade que precisa ser reparada.

Sabe-se que o excesso de seio pode prejudicar a saúde da mulher como desvio na coluna, má postura, dor nas costas entre outros fatores, e é comum a necessidade de precisar tirar o excesso dos seios.

Para alcançar bons resultados neste procedimento, é importante que a mulher esteja numa fase em que as mamas já estejam completamente desenvolvidas. Isso mais ou menos aos 18 anos para não acontecer de ter que refazer a cirurgia mais tarde.

A Mamoplastia Redutora

A Mamoplastia de redução dos seios, tem como objetivo a retirada do excesso de gordura dos seios, e também parte do tecido glandular, e claro o excesso de pele que irá sobrar.

Em seguida deverá ser feita a remodelação das mamas que deve ser em formato de cone. E a quantidade a ser retirada, deverá sempre obedecer a critérios médicos, pois somente ele vai dizer o quanto pode, mas também depende da opinião da paciente.

Quando é Indicada

É certo que quando os seios são grandes em excesso, é possível desencadear problemas de saúde, além de afetar diretamente o psicológico e consequentemente a autoestima da mulher.

Então a cirurgia plástica dos seios é indicada quando:

  • Acontece a má postura devido ao peso dos seios;
  • Dor nas costas;
  • Dificuldade ou até limitação com relação as atividades físicas;
  • Irritação da pele na dobra logo abaixo dos seios;
  • quando a alça do soutien acaba causando ferimentos devido ao peso dos seios;
  • Mamas com tamanhos diferentes uma da outra;
  • Baixa auto estima e constrangimento pelo tamanho dos seios e a flacidez dos mesmos.

Toda mulher que sofre com estes problemas, terá direito a fazer a cirurgia pelo SUS.

O Sistema Único de Saúde tem prioridade para alguns casos como:

  • Casos de nascença;
  • Casos em que a mulher sofre risco de morte;
  • Mulheres que passaram pelo câncer.

Para levantar os seios após amamentação

É significativo o número de mulheres que optam por se submeter a cirurgia  para levantar os seios. Os fatores podem variar, mas o fato é que esta cirurgia conhecida como Mastopexia, é uma solução que se mostra bastante satisfatória.

A reversão do caimento natural dos seios se dá através do reposicionamento da pele e da aréola, elevando as mamas até sua posição adequada. Deve haver simetria neste reposicionamento.

Existem ainda outros nomes para este ato cirúrgico como mamoplastia ou lifting mamário. É importante notar que neste caso, não existe a intenção de aumentar ou diminuir o volume.

Este é um procedimento indicado para mulheres com seios caídos por consequência do envelhecimento, amamentação, ganho e perda excessivo de peso, entre outros.

Colocação de prótese após Câncer de Mama

Após uma agressão tão intensa que é a retirada da mama, colocar a prótese acaba causando um bem estar e levanta a auto estima da mulher.

É necessário fazer a reconstrução da mama, após o tratamento do câncer. Entre as várias técnicas de reconstrução, a de colocar prótese é uma das mais comuns.

Neste caso, é colocada uma peça de silicone em formato de mama, sob a pele, no lugar da glândula mamária.

Mas é importante falar que antes de incentivar a colocação da prótese, seja qual for, é importante, resgatar nesta mulher, a sua dignidade.

Ela precisa saber enfrentar a vida, colocar uma roupa, e estar no meio da sociedade, sem precisar se envergonhar da sua silhueta.

Para Assimetria Mamária

Quando o objetivo é garantir uma melhor assimetria aos seios, a cirurgia é realizada com o fim de retirar as gorduras, excesso de pele e até algumas glândulas. Isso faz com que um contorno mais harmonioso seja possível.

Cirurgia para mamas Tuberosas

Antes de falar sobre o procedimento, é importante comentar sobre o que vem a ser esse mal.

Bom, a mama tuberosa provém de uma patologia congênita rara que se evidencia na puberdade. Essa malformação se dá pela ‘constrição da base mamária, pouco tecido mamário e herniação do tecido mamário em direção do complexo aréolo mamilar’.

Pelo fato de a pele ser enrijecida na região, a glândula tende a se projetar pelo mamilo. Isso só poderá ser corrigido com cirurgia.

Portanto, é ai que acontece a colocação de uma prótese ou implante anatômico, através de incisões radiais ou circunferenciais. Isso, especialmente na parte inferior da mama, sendo que também é feita a redução da aréola do mamilo.

Cada caso é um caso e deve ser avaliado pelo cirurgião plástico, para decidir qual seja o melhor procedimento.

Passo a passo na Rede pública

Quando é uma questão de saúde e não de estética, esse tipo de cirurgia pode ser feito pelo SUS.

O primeiro passo é buscar por um posto de saúde mais próximo da sua casa e lá pedir por uma consulta com um médico que irá fazer uma avaliação do seu caso.

O médico fará os exames, e poderá encaminhar a mulher para um psicólogo ou assistente social. Então, se os requisitos estiverem de acordo, a mulher será encaminhada para a fila de espera, no caso do SUS.

Quando chegar a vez, caso nos hospital da  cidade de residência não fizerem este tipo de cirurgia, imediatamente será encaminhada para o hospital público mais próximo.

Obs.: A documentação que provavelmente será exigida da paciente será a Identidade, o Cartão SUS e o Encaminhamento do médico.

A fila de espera, geralmente é grande, e por isso, é bem provável que o tempo de espera seja longo.

Cuidados necessários

Para quem pretende fazer essa mamoplastia deve:

  • Jejuar por 8 horas antes;
  • Não fumar por 30 dias;
  • Fazer todos os exames laboratoriais necessários;
  • Fazer avaliação e exame cardiológico;
  • Fazer mamografia e ultrassonografia mamária.

Como é a Cirurgia

Existem diferentes técnicas para fazer este tipo de cirurgia, mas todas elas acabam deixando cicatrizes, só que algumas em pontos mais aparentes, outras em pontos mais discretos.

Normalmente este procedimento dura mais ou menos 3 horas, mas depende de paciente para paciente, e o corte geralmente será logo abaixo da aréola ou da região perareolar.

Depois de a paciente passar por uma bateria de exames, a cirurgia é marcada. ela deverá tomar a anestesia a anestesia é local, com sedação geral ou peridural.

Após a cirurgia, a paciente poderá deixar o hospital em até 24 horas.

Pomadas para cicatrizar a pele dos seios

Após a cirurgia é importante que todos os cuidados sejam tomados, para garantir de que não acontecerá nenhuma infecção. Mas também é importante garantir uma boa cicatrização, evitar a formação de queloides, enfim, manter a estética.

O uso de pomada está entre estes cuidados que devem ser tomados. Confira então, algumas delas:

Dermatix

Em forma de gel de silicone líquido, esta pomada age como um amaciante. Assim faz com que a pele fique mais macia, elástica e hidratada.

A pomada que não apresenta cheiro, deve ser passada 2 vezes ao dia no local.

No entanto, é importante lembrar de que nunca deverá ser usada sem a prescrição do seu médico.

Skimatix

Outra pomada que traz sua fórmula à base de gel de silicone, que auxilia no processo de cicatrização, ao mesmo tempo em que mantém a pele úmida e hidratada.

Além de tudo, a pomada ainda ajuda a aliviar a coceira  no local, e age no processo de clareamento da pele na cicatriz.

Contractubex

Trazendo como princípios ativos a alantoína e heparina sódica, esta pomada é indicada para melhorar a qualidade da cicatrização. Ao mesmo tempo em que previne o aparecimento de cicatrizes hipertróficas, que são aquelas que aumentam de tamanho, e as quelóides, que ficam salientes e deformadas.

Com propriedades antiinflamatórias, antialérgicas, antiproliferativas, esta ainda promove um relaxamento dos tecidos da cicatriz, hidratando profundamente.

Normalmente deve ser aplicada sobre o local 2 vezes ao dia com massagens. E a duração do tratamento vai depender do tipo de cicatriz.

Porém, sempre é importante usar medicamentos de acordo com critérios médicos.

O pós Operatório

Após a cirurgia, a paciente ficará internada por mais ou menos 24 horas, e então já poderá ir param casa.

Mas deve atentar a alguns cuidados como:

  • Fazer uso dos medicamentos indicados pelo médico;
  • Adotar uma dieta leve, especialmente na primeira semana, devido ao estômago ficar sensibilizado pelo uso dos medicamentos;
  • Adotar o uso do soutien cirúrgico em tempo integral por pelo menos 1 mês ou de acordo com a prescrição médica;
  • O certo é ter pelo menos 2 soutiens, pois enquanto lava 1, veste o outro;
  • Em alguns casos é indicada a drenagem linfática para evitar edemas;
  • Depois de 1 semana é que estará liberada para o trabalho, dirigir e atividades sexuais;
  • No primeiro mês deve-se evitar exercícios ou atividades que forcem muito o local;
  • Atividades leves como bicicleta ergométrica e caminhadas, somente depois de 20 dias;
  • O curativo deve ser trocado todos os dias;
  • A cicatrização completa só se dará depois de 8 meses a 1 ano após;
  • As marcas da cirurgia ficarão mais discretas após 1 ano;
  • Evite tomar muito sol, para não evidenciar ainda mais a marca da cicatriz.

Fotos Antes e depois

Nas fotos abaixo você poderá conferir o antes e o depois de muitas mulheres que fizeram a redução das mamas. E estas pode lhe servir de inspiração e encorajamento, caso esteja insegura e receosa.

Todo mundo sabe o quanto a aparência dos seios influencia na auto estima da mulher. Talvez porque julga-se ser uma das partes mais visadas pelo sexo oposto.

Mas a redução de mamas, geralmente acontece para aliviar a sobrecarga que esta proporciona sobre a coluna. No entanto, essa cirurgia também pode ter outros objetivos.

Enquanto algumas mulheres sonham com seios maiores, quem já os tem, sabe o quanto pode ser prejudicial e prefere a redução. Por outro lado, existem as que precisam de uma reconstituição.

É visível a expressão de satisfação de uma mulher que passou pela cirurgia de redução das mamas, ou até mesmo após um trauma físico e psicológico que o câncer pode causar.

Agora você já sabe que Cirurgia de Redução de Mama pelo SUS é possível sim, e aliás é um direito que toda mulher que precisa, tem.  Especialmente se for causado ou causador de comprometimento da saúde, psicológico e tudo mais.  Então tem que correr em busca, certo?


Vale a Leitura